Ministério da saúde convoca doadores de sangue

O Ministério da Saúde está incentivando a doação de sangue durante o Carnaval, para garantir a assistência à população. Neste período, verifica-se uma baixa significativa de 20% a 30% nos estoques disponíveis para transfusões, porque há maior demanda pelas bolsas de sangue por parte dos postos de coleta, muitas vezes devido ao aumento da ingestão de álcool da população, de acidentes de trânsito e da violência urbana. A orientação do ministério é que os hemocentros todo Brasil estejam abertos em horário comercial na segunda-feira (7) e a partir do meio-dia de quarta-feira (9). 

“Nos períodos de férias e Carnaval, os doadores se afastam de suas atividades normais como a de doar”, explica Guilherme Genovez, coordenador nacional de Sangue e Hemoderivados, do Ministério da Saúde. Por isso, há a necessidade de chamar a atenção dos voluntários para se programar para doar antes de ir para a folia, no feriado da terça-feira (8).

Atualmente, são coletadas por ano no Brasil uma média de 3,5 milhões de bolsas de sangue. Cada hemocentro do País tem sua própria capacidade de estoque e de atendimento aos voluntários. Como é vedada a comercialização de sangue, é necessário que haja cada vez mais doadores compromissados e solidários para manter os estoques dentro do padrão desejado. 

Durante todo o ano, o Ministério da Saúde incentiva a doação de sangue. Anualmente, são realizas duas campanhas nacionais. A primeira acontece em junho, quando se comemora o Dia Internacional do Doador de Sangue, e a segunda, em 25 de novembro, quando é comemorado o Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue. 

O Brasil tem hoje 1,8% de doadores. De acordo com os parâmetros da Organização Mundial de Saúde (OMS), para manter os estoques regulares é preciso que 1,5% a 3% da população doe regularmente. A maioria das doações, no Brasil, ocorre de forma espontânea. Em cada doação são retirados, em média, 450 mililitros de sangue, quantidade que não afeta a saúde do doador e a sua recuperação é imediata após o ato. Após a doação, o voluntário recebe um lanche e as instruções que deve seguir após o procedimento. 

Para ser tornar um doador basta procurar o hemocentro mais próximo, responder o questionário de avaliação, ter boa saúde, pesar mais de 50 quilos e ter entre 18 e 65 anos. Além disso, também é necessário apresentar documento com foto, válido em todo território nacional. 

Os voluntários não podem ter tido hepatite após os 10 anos, nem estar expostas a doenças transmissíveis pelo sangue (sífilis, AIDS, hepatite e doenças de chagas). Mulheres grávidas ou amamentando; usuários de drogas e as pessoas que tiveram relacionamento sexual com parceiro desconhecido ou eventual – sem uso de preservativo – não podem doar sangue.

Fonte: brasil.gov.br